sábado, 30 de outubro de 2010

Homilia do Mons. José Maria – XXXI Domingo do Tempo Comum (Ano C)

A Conversão de Zaqueu

O Evangelho (Lc. 19, 1-10) fala-nos do encontro misericordioso de Jesus com Zaqueu. O Senhor passa por Jericó, a caminho de Jerusalém! Uma multidão apinhava-se nas ruas por onde o Mestre passava e lá no meio da multidão encontrava-se um homem chefe dos publicanos e rico, bem conhecido em Jericó pelo seu cargo.

Os publicanos eram cobradores de impostos. O imposto era fixado pela autoridade romana e os publicanos cobravam uma sobretaxa, da qual viviam. Isto prestava-se a arbitrariedades, razão pela qual eram facilmente hostilizados pela população.

São Lucas diz que Zaqueu procurava ver Jesus para conhecê-Lo, mas não podia por causa da multidão, pois era muito baixo. Mas o seu desejo é eficaz! Para conseguir realizar o seu propósito, começa por misturar-se com a multidão e depois, sem pensar no ridículo da sua atitude, correndo adiante subiu a um sicômaro para ver Jesus, que devia passar por ali. Não se importa com o que as pessoas possam pensar ao verem um homem da sua posição começar a correr e depois subir numa árvore. É uma formidável lição para nós que, acima de tudo, queremos ver Jesus e permanecer com Ele.

Que o Senhor aumente em nós o desejo sincero de vê-Lo! Eu quero realmente ver Jesus? – perguntava o Papa João Paulo II ao comentar esta mensagem do Evangelho –, faço tudo o que posso para poder vê-Lo? Este problema, depois de dois mil anos, é tão atual como naquela altura, quando Jesus atravessava as cidades e povoados da sua terra. E é atual para cada um de nós pessoalmente: quero verdadeiramente contemplá-Lo, ou não será que venho evitando encontrar-me com Ele? Prefiro não vê-Lo ou que Ele não me veja? E se já o vislumbro de algum modo, não será que prefiro vê-Lo de longe, sem me aproximar muito, sem me situar claramente diante dos seus olhos…, para não ter que aceitar toda a verdade que há nEle, que provém dEle?

Qualquer esforço que façamos por aproximar-nos de Cristo é amplamente recompensado. Disse Jesus: “Zaqueu desce depressa! Hoje Eu devo ficar na tua casa” (Lc 19, 5). Que alegria imensa! Zaqueu, que já se dava por satisfeito de vê-Lo do alto de uma árvore, ouve Jesus chamá-lo pelo nome, como a um velho amigo, e, e com a mesma confiança, fazer-se convidar para sua casa. Comenta Santo Agostinho: “Aquele que tinha por coisa grande e inefável vê-Lo passar, mereceu imediatamente tê-Lo em casa.” O Mestre, que tinha lido no coração do publicano a sinceridade dos seus desejos, não quis deixar passar a ocasião. Zaqueu descobre que é amado pessoalmente por Aquele que se apresenta como o Messias esperado, sente-se tocado no íntimo do seu espírito e abre o seu coração.

Zaqueu está agora com o Mestre, e com Ele tem tudo. Mostra com atos a sinceridade da sua nova vida; converte-se em mais um discípulo do Mestre.

O encontro com Cristo leva-nos a ser generosos com os outros, a compartilhar imediatamente com quem está mais necessitado o muito ou o pouco que temos.

“Hoje entrou a salvação nesta casa” (Lc 19, 9). É um convite à esperança: se alguma vez o Senhor permite que passemos por dificuldades, se nos sentimos às escuras e perdidos, temos de saber que Jesus, o Bom Pastor, sairá imediatamente em nossa busca. Diz Santo Ambrósio: “O Senhor escolhe um chefe de publicanos: quem poderá desesperar se ele alcançou a graça?” O Senhor nunca se esquece dos seus.

A figura de Zaqueu deve ajudar-nos a nunca dar ninguém por perdido ou irrecuperável.

Não duvidemos nunca do Senhor, da sua bondade e do seu amor pelos homens, por muito extremas ou difíceis que sejam as situações em que nos encontremos ou em que se encontrem as pessoas que queremos levar até Jesus. A sua misericórdia é sempre maior do que os nossos pobres raciocínios.

Mons. José Maria Pereira

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Nono dia: Olhar que protege


Quase três séculos se passaram desde o dia que a imagem foi encontrada pelos três pescadores. Desde então, Ela tornou-se a nossa herança, que ninguém pode tirar, pois foi a vontade divina que a escolheu para ser a nossa Rainha.
Expressão do carinho, que o povo brasileiro dedica Àquela que foi agraciada por Deus como a “Bendita entre todas as mulheres” (Lc1, 42). Aquela, que o próprio Cristo nos deu aos pés da Cruz, para com seu olhar maternal proteger a todos nós, seus filhos e filhas.

domingo, 10 de outubro de 2010

Oitavo dia: Olhar que evangeliza


Desde que a pequenina imagem foi recolhida pelos três benditos pescadores, Maria tem sido inspiração do novo modo de evangelizar, como a certeza de um novo dia que se desponta. Primeiramente com o povo do lugar.

Um século depois com os Missionários Redentoristas vindos da Alemanha, que com toda a coragem e ardor não duvidaram em compreender o povo, anunciar o Evangelho do Redentor e propagar a devoção à nossa Mãe querida.

Com a imagem negra, simples e humilde, levada nas mãos e no coração do nosso povo não são poucos, o número de homens e mulheres que vêm se convertendo no decorrer de todos esses anos, tornando-se verdadeiros discípulos missionários de Jesus Cristo. Experiência vivenciada em nossa Paróquia, quando da sua criação, depois com os padres de nossa diocese e Santas Missões Populares.

sábado, 9 de outubro de 2010

Sétimo dia: Olhar que intercede



Gloriosa no céu, quis por desígnio da Providência divina, Maria, emergir do encanto da magia das águas do rio Paraíba do Sul em 1717 de maneira simples, numa pequenina imagem, que é o reflexo do rosto do nosso povo.

Povo este que, na sua simplicidade e humildade logo a cobriu com um manto azul da cor do céu brasileiro e a cingiu com uma coroa, reconhecendo-a como Rainha. Manifestação de fé, de carinho para com Santa Mãe de Deus que sempre nos acompanha, consola e intercede por nós, confirmando o que disse São Bernardo: “jamais se ouviu dizer que algum daqueles que a ela tenha recorrido, reclamado o seu socorro, implorado a sua intercessão, tenha sido por ela desamparado”.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Sexto dia: Olhar que cura


Com ternura de Mãe, neste sexto dia da nossa novena, Maria vem nos ajudar a compreender que o olhar que cura é aquele que penetra no mais íntimo do nosso ser e nos resgata para a vida. Quem se deixa tocar por ele traz dentro de si a certeza de que nunca está só, pois Deus tem solicitude constante para com cada um de nós e há de nos dar a graça para superar as nossas imperfeições, as nossas dificuldades, as nossas limitações; solicitude vivenciada por nós, dentro das nossas famílias, dentro das nossas comunidades, mas que o corre-corre do dia a dia, muitas vezes não nos deixa perceber.
Desde que a pequenina imagem foi encontrada pelos três pescadores, são incontáveis os milagres de toda sorte, bem como todas as graças e bênçãos concedidas pelo Pai, por intermédio e intercessão da Virgem que Deus deu ao povo brasileiro, a Senhora da Conceição Aparecida.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Quinto dia: Olhar que salva


Filha Predileta do Pai, Maria está sempre com o olhar fixo em cada um de nós, manifestando o seu imenso amor carregado de ternura e de presença, quando da visita a sua prima Isabel, nas Bodas de Caná, junto de Jesus aos pés da cruz e no Cenáculo com os apóstolos. E na nossa “Pátria Grande”, a América Latina, do seu coração materno revoa pelos montes, pelas cidades, planícies e vales a misericórdia, a esperança e a paz sem fim.
È a Mãe atenta, zelosa, sempre pronta a nos socorrer em nossas necessidades e aflições, como o menino Marcelino que se debatia em meio às correntezas do rio Paraíba do Sul, onde a pequena imagem foi encontrada. Maria jamais abandona quem nela confia!
Hoje celebramos “Nossa Senhora do Rosário”; peçamos a ela que nos ajude a resgatar a oração do terço em família, um dos caminhos de nossa salvação.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Quarto dia da novena: Olhar que transforma

O tema que hoje vamos refletir: “Maria, olhar que transforma”, apresenta-nos Nossa Senhora como melhor exemplo de quem se coloca a serviço de Deus e da humanidade.
Como Mãe, ela não quer que nenhum de seus filhos e filhas se perca, por isso alerta para o que está em desacordo com os planos de Deus e convida a todos, até os prepotentes à conversão, a uma vida nova. Como discípula missionária, a Virgem Santíssima nos pede: “fazer tudo o que seu Filho Jesus ensinou”, criando em nós um coração novo, pobre, despojado, seguidor de Jesus, que serviu e que nos deu um mandato: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Terceiro dia – Olhar que Liberta

Mãe amada, Maria é o esteio dos homens e mulheres cansados de tentar entender o caminho opressor que a humanidade escolheu. Por isso hoje, ela vem até nós para nos mostrar, que o nosso Deus não tem fronteiras e assim sendo, Ele não faz distinção: pátria, cor, raça ou nação. Deus, que ouve o clamor de seu povo não quer divisão e jamais vai aprovar quem deseja explorar gerando escravidão. Ao assumir a cor da raça mais desprezada do nosso país no período colonial, Maria, na sua missão libertadora devolve àqueles que não têm voz e vez, a dignidade de filhos e filhas de Deus, como o escravo Zacarias, que a ela recorreu e se livra das correntes do poder opressor.

Ainda nesses nossos dias, fazendo valer a sua profecia, Maria, com seu olhar continua a nos chamar para também nos libertar de toda e qualquer situação de opressão.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Segundo dia: Olhar que ilumina


Neste segundo dia da novena em louvor à Santa Mãe de Deus e nossa, a Senhora da Conceição Aparecida, que traz como tema: “Maria: olhar que ilumina”! Mulher pobre e simples, desinteressada e humilde, que nos tornou transparente o mistério de Deus e de nossa salvação. Para si, ela escolheu o silêncio, perdendo-se, silenciosamente em seu Filho Jesus.

E foi no silêncio através de sua pequenina imagem encontrada por três humildes pescadores, que a Virgem da Conceição, feita de barro cozido, enegrecido pela água e pelo tempo, medindo 36 centímetros, foi levada ao culto divino. E no vale do Paraíba, na sua capela construída por gente simples que ali se reunia ao entardecer, para fazer as suas rezas, para muito além das velas que se acenderam por si só, acendeu também no coração de todo aquele povo simples e fiel a luz da fé.

Celebramos hoje, São Francisco de Assis, que também se deixou conduzir pelo olhar de Maria.

domingo, 3 de outubro de 2010

Primeiro dia: Olhar que desperta


Alicerçados pelo tema: “Sob o olhar da Senhora Aparecida caminhamos com Jesus”, este ano rezaremos refletindo sobre os “milagres da Santa”. É Maria, a Santa Mãe de Deus, que nesta terra e neste chão quis manifestar de maneira simples, sem fato espetacular, sem mensagem especial; solidária com aqueles três pobres pescadores e na sua cor negra, identificando com os escravos da época e os excluídos de hoje.

Tão pequenina aqui na terra e tão grande lá na glória, Maria com seu olhar atento continua nos ensinando a perseverar na fé em meios a dificuldades e desafios e como agir desinteressadamente no serviço de Deus e dos irmãos em favor da vida em abundância.

Que o tema de hoje: “Maria: Olhar que desperta”, nos anime enquanto Igreja e missionários, missionárias, construtores da Civilização do Amor.

Novena de Nossa Senhora Aparecida


O Servo de Deus Pe. Victor cultivou uma grande devoção a Nossa Senhora Aparecida. Todos os anos ele rezava a sua novena e promovia festa em louvor a Santa Mãe Deus.
Em união com todo o Brasil a Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Três Pontas iniciou na Igreja Matriz da Aparecida a novena.