sábado, 24 de julho de 2010

17º Domingo do Tempo Comum


“O impossível para Deus é deixar de te amar”

Durante a semana que passou especificamente na sexta-feira a Palavra nos levou a perceber que Deus é um grande semeador e a humanidade acolhe as suas sementes de diversas formas, alguns como corações de pedra, espinhos, beira de caminho e muitos como terra boa. De fato, ser terra boa é uma das propostas mais encantadoras para a vida de cristão, pois tudo que Deus planta neste terreno irá produzir em dobro no cotidiano.
Neste 17º Domingo do tempo comum mais uma vez a Palavra de Deus vem ao encontro de nossas vidas querendo encontrar terreno propicio para o seu desenvolvimento. Assim, somos chamados a ser terra boa para que a semente do Reino cresça e floresça no mundo por meio de nós, filhos e filhas amados de Deus. O coração que é terreno fértil sem duvida tem como fonte e vida a oração. Neste domingo a Liturgia da Palavra ilumina a nossa busca por Deus, a convivência com Ele na oração. A oração se faz de muitas maneiras e encontramos nas leituras a oração de súplica diante da qual Deus se mostra extremamente generoso, compassivo.
Abraão é alguém que no mais profundo de si sabe que Deus é amor. Por isso, intercede, reza e súplica pela vida de seu sobrinho Lot e sua família que vivia em Sodoma. A insistência de Abraão tem um objetivo: obter misericórdia de Deus que por sua vez aceita o seu pedido, pois ama sem limites. Colocar limites ao seu bem querer é impossível porque Ele é eternamente capaz de nos amar. Onde houver um coração que vive a justiça e um coração que suplica aí estará Deus sempre cheio de ternura, pronto para acolher e perdoar. A primeira leitura nos garante que Deus não nos trata conforme as nossas faltas. Se assim não fosse estaríamos perdidos devido às inúmeras faltas que cometemos no dia a dia. Quando pecamos nos distanciando do amor de Deus, muitas vezes sentimos arrependimento e dor. Porém, a dor sentida ao cair e fraquejar não são sinais de vingança por parte de Deus, mas sinais de que Ele está nos iluminando para nos transformar em sua misericórdia, isto é, para a conversão verdadeira.
O Evangelho também mostra a força da presença misericordiosa de Deus na vida de quem não se cansa pedir seu auxílio.
A atitude de Abraão e do homem do Evangelho é totalmente orante, ou seja, de oração. A oração é experiência que se faz com o Deus. Por isso, quem reza obtém os favores de Deus porque Ele sempre responde aos nossos pedidos. A oração é experiência com este amor que se doa gratuitamente, sem limites.
O cristão vivendo neste mundo lutando para transformá-lo com os pés firmes, com passos largos rumo ao Reino e ao mesmo tempo com as mãos estendidas em direção ao céu suplicando a misericórdia de Deus. A oração nos liberta dos medos e inseguranças, pois nos leva para os braços Daquele que é forte o suficiente para nos sustentar.
Quando estava preparando a reflexão para este domingo veio em minha mente um trecho de uma musica: “O impossível para Deus é deixar de te amar”. Mesmo sem a nossa oração Ele nos ama, imaginemos o que nos acontece quando rezamos sinceramente....não há palavras descrever. Enfim, isso é o céu na terra!

Nenhum comentário:

Postar um comentário